Atividades de Estimulação Cognitiva para Séniores

Início a 12 de Setembro

Introdução

A pessoa idosa apresenta uma redução do número de células nervosas, assim como uma diminuição na velocidade de condução do estímulo nervoso, afetando o normal funcionamento das funções cerebrais da pessoa, ou seja, a sua capacidade de memorização, concentração, coordenação, atenção, resolução de problemas, entre outras. A estimulação cognitiva desempenha um papel muito importante, pois desacelera este processo e mantém o sistema nervosos central a trabalhar de forma correta durante toda a vida.

Destinatários

Esta ação de formação destina-se a dirigentes, diretores técnicos de IPSS ou ONGs, animadores socioculturais, auxiliares de serviços, agentes em geriatria, gerontólogos, educadores sociais, psicólogos, técnicos superiores de educação e reabilitação, psicomotricistas e outros agentes da área social.

O que vai aprender?​

No final da formação, os/as e-formandos/as deverão ser capazes de usar ferramentas de estimulação cognitiva, individualmente e em grupo, com pessoas idosas.

Processo de envelhecimento e as suas modificações

A importância de estimular as funções cognitivas

A individualidade da pessoa idosa

Exercícios/atividades individuais de estimulação cognitiva

Exercícios/atividades em grupo de estimulação cognitiva

Objetivos Específicos desta formação

Os/as e-formandos/as deverão adquirir um conjunto de conhecimentos e competências que lhes permitam, no final da formação: 

  • Explicar a importância de estimular as funções cognitivas na população idosa; 
  • Descrever as particularidades da individualidade da pessoa idosa; 
  • Desenvolver metodologias de prescrição especifica e adaptada;
  • Criar e aplicar exercícios/atividades de estimulação cognitiva.

Pré Inscreva-se

Sensuum - todos os direitos reservados

Scroll to Top
Scroll to Top
Chat
1
Scan the code
Olá!
Podemos ajudar?