Sensuum

"Aqueles que passam por nós não vão sós, não nos deixam sós! Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós!"

Quem Somos?

A Fundação foi criada pelo benemérito António Joaquim Gomes da Cunha, natural do Lugar de Gondarém, na freguesia de Cabeceiras de Basto, no concelho de Cabeceiras de Basto, para ajudar as crianças e famílias mais pobres da freguesia.

O António Joaquim Gomes da Cunha, tendo amealhado fortuna no Brasil, durante o século dezanove, fez constar no seu testamento o desejo de comprar terrenos na terra natal, para aí construir edifícios para escolas primárias (masculina e feminina), Posto Médico, Farmácia e outros espaços destinados a alojamento de professores e farmacêuticos.

O desejo veio a tornar-se realidade, e além daquelas estruturas, foi ainda construído um edifício destinado a Escola Agrícola, Industrial e Comercial que, entretanto, entraram em colapso, devido à conjuntura política e financeira dos anos 20, o que levou à degradação natural dos edifícios, em consequência da sua não utilização.

Mais tarde, no ano de 1960, o “Instituto” passou a Fundação e alargou a sua área de intervenção e abrangência, tendo em vista a criação de uma “Escola de Deficientes”, como forma de reiniciar a atividade da instituição.

Seguiu-se um trabalho conjunto com a Segurança Social, no sentido da obtenção do necessário apoio para a elaboração do projeto, depois para o respetivo financiamento da obra, tendo-se iniciado o transporte de jovens portadores de deficiência no concelho para a Cercifaf e a prestação do serviço de apoio domiciliário.

Atualmente, a Fundação António Joaquim Gomes da Cunha dispõe de três respostas sociais: Serviço de Atendimento e Acompanhamento Social (SAAS) , Centro de Atividades e Capacitação para a Inclusão (CACI) e Lar Residencial

Apesar deste trabalho, continuava a verificar-se uma enorme carência social, no apoio a pessoas com deficiência e às suas famílias, assim como um elevado número de casos detetados, sem qualquer resposta adequada e uma ausência de equipamentos de apoio nesta área a nível local, tendo sido a partir daqui que a Fundação tem vindo a desenvolver a sua intervenção até aos dias de hoje.

Os Valores Que Nos Caracterizam

Missão

Mostrar que a Fundação é “um lugar com vida, um lugar de todos”.

Visão

Ser uma organização de referência, com vista à integração na vida familiar, social e ativa das pessoas com deficiência e incapacidade, respondendo aos desafios do presente e do futuro, numa sociedade aberta e inclusiva.

Valores

A Fundação valoriza a igualdade de acesso e oportunidades, combate as desigualdades sociais e defende os direitos das pessoas com deficiência. A promoção do bem-estar físico e psicológico é uma prioridade, assim como o clima de afeto e respeito nas relações de trabalho.
A promoção do bem-estar físico e psicológico da nossa comunidade é uma prioridade para nós, em que valorizamos um clima de afetos onde os sentimentos de todos com quem trabalhamos são o nosso melhor instrumento de trabalho.

Freguesias - SAAS

0

Utentes CACI

0

Lar Residencial

0

Colaboradores

0

CACI

Em 1988 foi celebrado o primeiro acordo de cooperação com a Segurança Social para prestar “Apoio Domiciliário a Deficientes” e passados 10 anos, foi criado um Centro de Atividades Ocupacionais (CAO) para dar resposta às pessoas portadoras de deficiência grave ou moderada, com idade igual ou superior a 16 anos de idade, com um acordo inicial para 20 utentes, sendo posteriormente o acordo revisto para 30 utentes e atualmente temos acordo para 40 utentes vindos de todo o concelho.

Assim o CACI é uma resposta social destinada a desenvolver atividades de capacitação e de ocupação para pessoas com deficiência, que visa a promoção da sua qualidade de vida, autonomia e bem-estar, possibilitando um maior acesso à comunidade e aos seus recursos, tendo por base as necessidades, capacidades e nível de funcionalidade específicos destes cidadãos.

Esta resposta incorpora na sua génese um modelo de funcionamento diferenciado face às necessidades e expetativas das pessoas com deficiência, promotor de uma maior autonomia e inclusão, colocando novos desafios às instituições no processo de transição e implementação do novo quadro legal desta resposta social.

SAAS

Em 2006, através da celebração de um Acordo Atípico com a Segurança Social, entrou em funcionamento o Serviço de Atendimento e Acompanhamento Social (SAAS). O SAAS reúne uma Equipa multidisciplinar constituída por: Assistente Social, Educadora Social e Psicóloga e é uma resposta de proximidade que valoriza a atuação em parceria com outras entidades e serviços, com vista a informar, aconselhar e encaminhar indivíduos e famílias em situação de vulnerabilidade, pobreza e exclusão social, apoiando-os na aquisição e/ou fortalecimento de competências em várias área da sua vida quotidiana, promovendo a sua autonomia pessoal, social e profissional. Atualmente realiza atendimentos e faz acompanhamento de beneficiários de RSI e Ação Social das seguintes freguesias: Alvite, Bucos, Cabeceiras de Basto, Passos, Painzela, Outeiro, União de Arco de Baúlhe e Vila Nune, Faia e Basto.

Lar Residencial

O Lar Residencial da Fundação António Joaquim Gomes da Cunha, entrou em funcionamento em 2010 e é uma estrutura destinada a alojar pessoas com deficiências ou incapacidades, de ambos os sexos, de idade igual ou superior a 16 anos, que se encontrem impedidas temporariamente ou prolongadamente de residir no seu meio familiar.

Tem capacidade para 24 pessoas, presta serviços de alojamento, alimentação, tratamento de roupas, higiene e conforto pessoal, apoio na área da saúde e na área social. E o seu funcionamento rege-se pelos princípios da humanização e respeito pela privacidade e individualidade dos seus residentes.

Atualmente foi realizada uma candidatura ao Programa PARES 3. ª Geração, estando previsto fazer o alargamento da resposta para mais 31 utentes.

Quais os objetivos e projetos da nossa associação?

Para o futuro espera-se a conclusão de alguns projetos já iniciados, assim como se criaram novas ambições:

  • Alargamento do Lar Residencial para mais 31 pessoas;
  • Requalificação do edifício do CACI;
  • Alargamento do CACI de 40 para 60 utentes através da criação de mais uma unidade funcional;
  • Alargamento do Ginásio Terapeutico de Reabilitação: construção do tanque terapêutico;
  • Comemoração dos 25 anos do CACI;
  • Recuperação das memórias da Fundação
  • Desenvolvimento de novos produtos nas atividades ocupacionais com potencial de mercado.

Mensagem para quem não nos conhece

São muitos anos de história que foi construída todos os dias um pouco por cada um de nós, utentes, funcionários e dirigentes que por aqui têm passado. Diariamente todos dão o seu contributo para a construção do sucesso coletivo, fortalecendo os valores do trabalho de equipa, da inclusão social e da solidariedade, pois são as relações com as pessoas que marcam a diferença e nos fazem crescer.

Temos instalações dignas, temos uma equipa forte e preparada, temos a dedicação dos dirigentes incansáveis na busca de respostas e soluções, temos valores e sabemos o que queremos: dar uma resposta social de proximidade muito profissional mas também dar amparo, carinho e amizade nos dias mais difíceis.

Deixamos uma pequena mensagem que reflete o espírito e a filosofia do trabalho que é desenvolvido na nossa instituição: 

“Aqueles que passam por nós não vão sós, não nos deixam sós!

Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós!”

(Antoine de Saint-Exupery)

– Equipa FA.J. Gomes da Cunha

Galeria

Contactos Gerais

Redes Sociais

Scroll to Top
Scroll to Top
Chat
1
Scan the code
Olá!
Podemos ajudar?