Psi-co-mo-tri-ci-da-de!

 

Por mais complexa que esta palavra possa parecer o seu significado é bem simples. Basta dividirmos em 4 partes: 

psi- relativo às competências psicoafectivas (emoção, social e relacional);

co- Cognição (raciocínio, atenção, concentração, …); 

motric- movimento humano; 

idade: todas as etapas da vida do ser humano.

 

Desta forma a Psicomotricidade estuda o ser humano como um todo e o conhecimento que este tem do seu corpo e como o seu mundo interno e externo se relacionam. Assim, os Psicomotricistas acreditam que as competências psicoafectivas e cognitivas podem influenciar as aquisições motoras e vice-versa, estas estão todas relacionadas e afetam-se entre si. 

 

São 3, os âmbitos de intervenção:

– Preventivo: Estimulação de competências e prevenção de condutas inadaptadas;

– Educativo: Promoção do potencial de aprendizagem;

– Reeducativo ou terapêutico: Intervenção em condutas inadaptadas, patologias do desenvolvimento e problemas psíquicos.

 

A Intervenção Precoce é uma das vertentes da Psicomotricidade, estimulando e otimizando o desenvolvimento infantil dos 0 aos 5 anos. Permite despistar a existência de eventuais perturbações do desenvolvimento e uma intervenção rápida e centralizada na criança. A intervenção psicomotora, no âmbito terapêutico, é dirigida a casos em que os processos do desenvolvimento e da aprendizagem estão comprometidos e em que estão frequentemente implicados problemas psicoafectivos, de base relacional.

A adolescência é caraterizada como uma fase de várias mudanças (motoras, emocionais e sexuais), além disso as crises de identidade e as dificuldades relacionais com os seus pares e, principalmete, com os pais estão sempre presentes. A Psicomotricidade entra assim nesta idade de forma a colmatar as inadaptações a estas transformações. Trabalha assim a o esquema corporal, conhecendo o seu corpo e a relação deste com o mundo que o rodeia e com os seus pares.

No adulto a Psicomotricidade está mais presente nas patologias havendo assim um acompanhamento em doenças neuromusculares, AVC’S, Paralisia Cerebral e doenças neurodegenerativas. 

 

A Gerontopsicomotricidade é o termo usado para falar sobre a psicomotricidade no idoso. Os principais objetivos de intervenção são: 

• retrogénese psicomotora (perda de equilíbrio, dificuldades no esquema corporal, coordenação, amplitude de movimentos e tônus muscular);

• Manter as capacidades cognitivas;

• Melhoria da qualidade de vida; 

• Apoio nos cuidados paliativos (Técnicas de controlo da dor e técnicas de relaxação); 

• Prevenir e reatardara evolução de doenças carateristicas da idade.

 

“A Psicomotricidade é a relação entre o pensamento, envolvendo a emoção”.

Rosângela Pires dos Santos

 

Drª Cátia Coelho

Psicomotricista / Risoterapeuta

Clínica Entreterapias