Até há bem pouco tempo, muitas situações não passavam de meros sonhos para uma grande faixa da sociedade mas, com os atuais avanços tecnológicos, muitos desses sonhos podem com relativa facilidade tornar-se realidade utilizando a tecnologia Realidade Virtual (RV).

A imaginação faz parte da vida do ser humano e são várias as manifestações desse imaginário, quer seja através da verbalização, ou através de representações, pelo cinema ou pela dança, quer seja através de outras artes de expressão. Até há bem pouco tempo, muitas situações não passavam de meros sonhos para uma grande faixa da sociedade mas, com os atuais avanços tecnológicos, muitos desses sonhos podem com relativa facilidade tornar-se realidade utilizando a tecnologia Realidade Virtual (RV).

Atualmente, a RV é uma tecnologia amplamente disponível para todos e na última década, os neurocientistas começaram a estudar a terapia cognitiva para seniores baseada em RV e concluíram que a sua utilização traz grandes benefícios tanto ao nível físico como mental indo muito para além do carácter lúdico das experiências proporcionando-lhes uma oportunidade de um novo (re)viver.

Não somos da opinião em substituir as intervenções tradicionais pela RV, antes pelo contrário, reconhecemos a importância destas para ajudar a restaurar, a remediar e a reabilitar o nível de funcionamento e independência da pessoa, melhorando a saúde, o bem-estar e, de uma forma geral, a qualidade de vida. Acontece que estes efeitos nem sempre chegam a todas as pessoas, nomeadamente às pessoas que têm mobilidade comprometida ou que, por qualquer razão, tenham alguma dificuldade em interagir com o mundo exterior e, para estes casos, a RV pode ser a única alternativa.

Colocar em prática as estratégias mais adequadas de regulação das perdas cognitivas, afiguram-se como um elemento chave para os idosos e daí, a utilização da RV, como importante instrumento complementar, pode ser a mais adequada no processo de promoção de um envelhecimento ativo e de incentivo à socialização, bem como, na vivência de emoções positivas e de relaxamento.

Como um ser finito, o ser humano tende a funcionar a partir de pensamentos, sentimentos e emoções e, aliado a isso, sabemos que o nosso cérebro não entende a diferença entre o que é realidade e o que não é pelo que, a aplicação da RV como terapia cognitiva, oferece a possibilidade de desenvolver programas/experiências que a partir de um ambiente seguro para os seniores, possibilita-lhes ultrapassar as dificuldades colocadas por contextos reais. Trata-se de uma solução excelente, na medida que promove um estímulo visual e proporciona um feedback imediato contribuindo para um evidente aumento da habilidade funcional e uma melhoria da participação no quotidiano. 

A RV é uma tecnologia diferenciadora na medida em que remove barreiras permitindo que todos participem e todos possam experimentar ambientes lúdicos completamente novos e motivadores e que podem ajudar a substituir por vezes a inercia inerente a um dia-a-dia nem sempre muito entusiasmante, por ocasiões especiais de convívio e boa disposição.

 

Alessandra Ruão

Gerontóloga na Kimente